Archive for maio \18\UTC 2010

Vivo

maio 18, 2010

Os poetas mortos renasceram em mim. Vivo de poemas, de sentimentos, de frustrações principalmente amorosas, de cores, de dores, com rancores, mas sempre visando um objetivo comum da felicidade, mesmo quando tudo que se tem é a dor.

Vivo do repente, vivo do momento, vivo do olhar, do sentimento.

Vivo da bateria, vivo dos tambores, vivo da batida, dos rimadores.

Vivo dos protestos, vivo dos meus versos, vivo indo pra frente com meus olhos sempre abertos.

Vivo de conceitos, vivo de temores, do preconceito, dos ditadores.

Vivo dos massacres, vivo de desfalques, vivo das batalhas, dos mil anjos, dos destaques.

Vivo de tudo que ronda a vida, vivo na vida de rondar tudo, vivo do absurdo, do fim do mundo, do mar, das almas, das matas, dos animais, das coisas vivas, coisas reais. É disso que eu vivo, é isso que eu sou, sou tudo e ao mesmo tempo sou nada, sou a cruz e a espada, sou a vida e a morte ao mesmo tempo, sou o bem e o mal, homem/animal, mas na verdade, sou um mero mortal, que apenas vive a vida.

Anúncios

Eu nunca mais vou te incomodar, pode ter certeza.

maio 2, 2010

Você me disse que ia durar pra sempre, mas o pra sempre durou tão pouco. Não tive tempo de planejar um segundo plano, ou pelo menos juntar forças para permanecer em pé. Mas tudo bem, eu sei bem como é , a gente segue em frente e seja o que deus quiser, né?

Já que tudo não passa de um jogo, vamos fazer uma aposta. Coloque as cartas na mesa e jogue com tudo que tiver, pois dessa vez serão dois jogadores, não apenas você.

Não brinco com sentimentos, muito menos crio ilusões ou expectativas se não me interessa, como você fez. Agora você estará lhe dando com o homem frio, não com o garoto sonhador, então é melhor jogar sério, pois a brincadeira acabou.

Não quero mais ser o único que vive de mentiras e foi ontem mesmo, que você pediu para eu pegar todas as minhas coisas e partir de manhã. É , foi isso que fiz, peguei tudo o que era meu e parti rumo a lugar nenhum, mas para longe de você. Só tenho uma coisa a dizer agora. . . eu nunca mais vou te incomodar, pode ter certeza.

Por eu tomar essa decisão, não quer dizer que eu ainda não te ama, mas sim que eu nunca mais vou olhar para o horizonte e esperar ver seu rosto. Cresci muito com a dor, se isso é o melhor pra mim, realmente não sei, mas prefiro esquecer que tenho coração do que derrubar uma lágrima para quem me deu as costas, como você fez.

Mudanças

maio 1, 2010

Me sinto diferente, me vejo de outros ângulos, coisa que nunca havia feito antes. Me sinto . . . “estranho” , por de repente mudar meu jeito de ser, meu jeito de agir, pensar, ver as coisas, fazer. Mudei quase que completamente em todos os sentidos, amadureci muito em questão de dias, coisas que em vinte e poucos anos eu não consegui fazer.

Não me sinto mal por ter mudado tanto, mas me vejo “perdido” dentro de mim. Muitas coisas que eu amava perderam a graça e muitas coisas que eu nem notava, passaram a ser tão belas e preciosas para mim.

Não sei como tudo isso aconteceu, muito menos sei explicar o por que, mas de certo modo, tudo isso está me fazendo bem, mesmo ainda me fazendo mal. A males que vem para o bem? Isso com certeza, mas não me sinto mal, apenas mudei de postura, coisa que nunca aconteceu comigo. É estranho, mas não desconfortavel a situação, apenas por ser uma novidade pra mim, mas novidades raramente são ruins.

Se vale apena embarcar nessas mudanças eu não sei, mas isso tudo me fez crescer , então, vou arriscar nas incertezas mesmo que isso me custe caro demais, tudo em nome da liberdade e de uma vida melhor.